05 fatos sobre o futuro do trabalho

Não é segredo para ninguém que o mercado de trabalho evolui todos os dias. Tecnologias que há um ou dois anos não eram nem imaginadas, agora, passam a fazer parte do nosso dia a dia. Nesse sentido, imaginar como será o futuro do trabalho pode até causar uma certa inquietação. Afinal, como serão as formas de trabalho? As tecnologias tomarão o emprego das pessoas? A função que você desempenha hoje ainda existirá? É claro que prever o futuro ainda é impossível, mas podemos ter alguns insights do que esperar dos próximos anos. Confira:

Uma vida inteira na mesma empresa?

Os profissionais do futuro vão querer passar por diversas atividades ao longo da vida. Ruy Braga, sociólogo e professor da Universidade de Lisboa, afirma que “a população mundial experimenta cada vez menos o emprego, no sentido formal, para ocupar vários trabalhos durante a vida. Afinal, construir a carreira dentro de um único tipo de profissão ou passar anos na mesma empresa, exercendo as mesmas atividades, estão se mostrando opções gradativamente inviáveis na economia”. Ou seja, passar por diversas funções e empresas se tornará ainda mais comum nas próximas gerações.

Empregos serão extintos e novos surgirão

Com a robotização e o avanço acelerado das tecnologias, muitas ocupações que existem atualmente simplesmente não existirão no futuro. Segundo o estudo chamado Future Of Jobs Report, realizado pelo Fórum Econômico Mundial, profissões relacionadas a análise de dados e desenvolvimento de softwares e aplicações, assim como relacionadas ao marketing e vendas, crescerão de 16% para 27% em empresas de grande porte. Em contrapartida, profissões como inserção de dados e secretariado, por exemplo, cairão de 31% para 21%.

Maior flexibilidade e bem-estar

Para acompanhar as mudanças que o futuro do trabalho reserva, uma maior flexibilidade no dia a dia dos funcionários fará toda a diferença. O bem-estar é uma das características mais importantes que atrairão talentos para as empresas. Por isso, facilidades como horário mais flexível, trabalho remoto (o chamado home office), jornadas cada vez mais fora do escritório são alguns diferenciais que pesarão ainda mais.

Humanos, máquinas e algoritmos

Atualmente, muitas máquinas já são utilizadas para realizar alguns trabalhos que seriam feitos por humanos. Mas, segundo pesquisas, pessoas ainda concluem 71% das horas de trabalho, ao passo que 22% fica sob responsabilidade de algoritmos e robôs. Até 2022, a tendência é que estes fiquem com 42% das demandas totais, enquanto profissionais ficarão com 52%.

O futuro do trabalho exigirá mais conhecimento

Cursos pontuais, focados no desenvolvimento de determinadas habilidades serão constantes. A ausência de conhecimento por parte dos colaboradores de uma empresa e até de seus líderes pode fazer com que aumente a procura por terceiros – freelancers – que consigam dar conta das demandas pendentes.

De acordo com o estudo Future Of Jobs Report, para fazer com que empresas e seus colaboradores acompanhem essas novidades, é preciso “uma abordagem abrangente ao planejamento da força de trabalho, requalificação e melhoria de qualificações”. Por isso, o investimento em contínuo aprendizado será de extrema importância. Focar em desenvolvimento desde já, como a construção de novos líderes, é um primeiro passo para acompanhar todas as mudanças que estão por vir.

Ficou interessado em como começar a se desenvolver para o futuro do trabalho? Baixe nosso e-book sobre formação de líderes.

Compartilhe isso: